loggado
Carregando...

[Review] The Vampire Diaries 5x16 - While You Were Sleeping


Claro...

Claro! Depois do polêmico episódio da semana passada, é claro que a principal dúvida que pairava em nossas cabecinhas revoltadas era a de qual seria o próximo passo da série. A resposta não chegou a ser ruim. While You Were Sleeping não tratou das consequências diretas da morte de Katherine, apenas dos efeitos colaterais causados pela sua última façanha, o que não chegou a justificar em nada a dispensa da personagem, se não fosse pelas visões distorcidas de Elena. Na verdade, tinha em mente que este episódio seria um novo começo para uma série que já anda caducando ou uma tremenda porcaria, mas acabou sendo apenas a continuação das tramas que haviam sido deixadas pelo caminho turbulento e desequilibrado da quinta temporada.

Então é claro que, além de lidar com os problemas dos soros, era fundamental escolher uma trama para agarrar na reta final da temporada. Aí vem a retomada de um plot que chegou a me agradar muito: os doppelgangers. Porém, não tenho muita certeza de que ele vá cativar muitos espectadores ou muito menos segurar essa ou a próxima temporada. Poderia até arriscar que os Viajantes poderiam ocupar esse cargo e suprir a falta de tramas que desenvolvam a mitologia da série, mas sei que estes projetos de bruxos viram alguma luz no projeto de Dr. Wes, um dos personagens mais inúteis da história da série, então é um tanto difícil acreditar que eles cheguem a desenvolver um papel importante em TVD. Essa falta de fé no futuro da série veio com um monte de porrada que levamos nessa e na temporada anterior, e fica mais evidente quando Enzo diz que os mesmos estão fazendo de seu objetivo um segredo. Como se nós não soubéssemos que não tem motivo algum...

Mas como a esperança ainda mantém vocês assistindo à série - e a mim também -, vamos torcer para que o novo Stefan consiga segurar a trama por pelo menos um episódio. Vale lembrar que, pelas minhas contas, esta nova cópia do Stefan seria o equivalente à Elena na linha temporal e, portanto, as versões mais recentes das cópias. Então, em termos de mitologia, aparentemente a série ainda não estragou.

O problema é outro. Primeiro porque a showrunner da série, e também roteirista desse episódio, é completamente Stelena e daí vemos cenas e diálogos desnecessários feitos especialmente para agradar ela mesma, afinal, nem mesmo as Delenas poderiam concordar com algo tão forçado. Prova disso é o primeiro reencontro de Elena e Stefan, no qual ele diz que Katherine e ele chegaram a se beijar, mas que ele interrompeu o momento porque “ela não era a Elena”. Já na cena final, Elena vem toda chorosa jogando na cara de Damon que ele não notou a diferença. Como se só o Stefan tivesse notado. Que vontade de esganar essa showrunner, viu.

A prova de todo o golpe estava na cena em que Katherine tenta “sutilmente” empurrar a estaca para um irmão matar o outro. Ali era para os dois terem percebido. E olha que Stefan caiu no golpe da blusa suja e só foi juntar um mais um com uma mensagem avulsa vindo da fonte mais avulsa. Mas, sério, essa Dona Caroline Dries tem a mão pesada no roteiro, principalmente nos diálogos. Além de repetir plots, criar personagens novatos obviamente dúbios e gerar uma nova discussão de Delena do nada, ela não sabe nem escrever personagens novos. Atenção ao “novo personagem”, o qual eu não lembro mais. Toda palavra que saiu da boca dele foi para reafirmar que ele é gay. Ele já chegou no estilo “oi, Elena, sou gay, você lembra de mim?”. E, mais tarde, conjurando com a nova bruxa: “então, sou do mal... você tem irmão gay, porque sou gay, né, você lembra?”. Pergunta se eu sei o nome dele. Em breve, novo hino, o próximo depois de “Vocês viram a Rebekah?”.

Aliás, essa nova dupla é a minha nova aposta de morte certa, com duração de três episódios, se não souberem explorar essa nova trama. A novidade é que agora TVD embarca em sua primeira fase constituída por três tramas, as quais podem render boa ação para os momentos finais (esperança, não é gente?). A do Stefan médico é a menos interessante delas, mas também é a que pode ser mais imprevisível, visto que é fácil demais chegar lá e matá-lo. Pelo menos alguma complicação vai ter.

Se por um lado o desfecho dos soros pareceu ultra-mega-simples, acredito que tenha sido a melhor escolha, porque: 1) eles não vão matar protagonistas; 2) os mimimis de Elena continuariam eternamente se ela não fosse curada; 3) economiza tempo para outras tramas mais promissoras. Contudo, a impressão de que tudo daqui em diante será resolvido tão facilmente quanto o que foi resolvido anteriormente assombra a possibilidade de mudança da série.

O mais engraçado do episódio é que Elena já foi acordando e perguntando por Aaron. Isso porque ela tem amigas para se preocupar. Mas até entendo, ele era o par IDEAL para ela. Porque ela reclama demais. Pior que as lamentações dela, só o que virou Delena mesmo. Um ship tão penoso que está dando briga todo santo episódio, porque Damon não se conforma. Está na hora de parar com isso! Deixa o Stefan seguir em frente, arrumar um novo penteado, namorar a Caroline... que seja. E, principalmente, não mexa nos casais. 

O episódio foi bom, ainda mais com as baixíssimas expectativas pós-Katherine, que passou a ser citada frequentemente mesmo depois de partir porque ela pode. Acho que TVD poderia apostar em episódios mais leves, com leves toques de humor, se resolver encher linguiça. Mas a torcida é pela ação-de-tirar-o-fôlego que três tramas podem causar.

P.S.: Estávamos precisando daquela cena final, hein.

The Vampire Diaries 8834630802213785962

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item