loggado
Carregando...

[Fica a Dica] Música: Coldplay - Ghost Stories


O tempo não é tudo, mas é responsável por uma boa quantidade de cores e tons que pintam a nossa forma de vivenciar situações inesperadas. Para mim, Ghost Stories, o novo álbum do Coldplay, é exatamente isso: uma forma diferente de Chris Martin expressar suas percepções e sentimentos, muitos deles relacionados à sua agora ex-esposa Gwyneth Paltrow.

A expressão de sentimentos profundos sempre foi e continua sendo o cartão de visitas da banda e, na maior parte do tempo, sua música nos emociona melhor do que qualquer grande banda de rock atual. Curtindo ou não seu estilo, é quase que impossível ficar indiferente ao trabalho da banda, pois para o bem ou para o mal, as músicas sempre tem algo a dizer, sempre te fazem atentar para algum ponto das nossas vidas; e talvez isso foi o que me deixou tão confuso sobre Ghost Stories que, a princípio, nada mais é que uma coletânea sonolenta de músicas eletrônicas tingidas, principalmente sonolentas, que raramente chegam a algum ponto ou te fazem refletir sobre qualquer coisa. É tudo muito diferente do que a banda já fez, e não de um modo positivo.

Entretanto, como a grandeza de outrora nunca é alcançada aqui, há faixas de qualidade excepcional como "Oceans", que é uma canção tranquila que abusa do falsete suave, podendo facilmente ser uma “atualização de "Sparks" do álbum de estréia da banda, Parachutes. "Midnight", o primeiro single proporcional do álbum, gerou inúmeras críticas rotulando-a como Bon Iver Wannabe. No contexto, a canção se destaca como um dos poucos momentos de crua emoção e honestidade, pois desvenda a voz de Martin em uma matriz de fios macios. Aqui, ele realmente soa como o homem quebrado que ele canta sobre toda parte, e você não pode deixar de torcer para ele ser colocado de volta com sua amada novamente. A melhor faixa do álbum, "Magic" , trabalha uma batida mais mid-tempo que define melhor a esperança que Martin tem na esteira de seu divórcio, principalmente no trecho: “And if you were to ask me, after all that we’ve been through, ‘Still believe in magic?’ Of course I do”. É o momento mais Coldplay de qualquer música do álbum.


Sobre “Always In My Head”, “Ink” e “True Love”, todas têm elementos que se destacam, porém estão sob o peso de uma produção equivocada, de modo que o resultado final é um pouco chato, pois as canções acabaram ficando arrastadas. Contudo, a faixa mais controversa e desconcertante do álbum é  “A Sky Full of Stars”, uma colaboração da banda com o Big Mac da EDM , Avicii . A canção vai na maré contrária de qualquer single do Coldplay, o que não seria um problema se ela não cheirasse a um desespero infundado para ser moderno e popular. Por que a maior banda de rock do mundo criaria uma música que soa como um de uma dúzia de hits semelhantes no rádio no verão passado? Claro que "Paradise" não foi o mega hit de fazer tremer a terra como aconteceu com "Viva La Vida", porém serviu para mostrar que quando a banda se arrisca de forma certa, os frutos colhidos geralmente são possíveis. Coldplay sempre foi uma banda dita como "cool " porque parecia legal o fato deles nunca terem tentado ser o que não são.

Dessa forma, concluo que para um álbum que tem como objetivo explorar o momento mais emocional na vida de Chris Martin, Ghost Stories não é um erro completo. Entretanto, é inegável que ele representa um distanciamento do estilo anterior da banda, o que é uma pena. Após ouvir algumas vezes as músicas, a impressão que fica é que e as mesmas dizem o que se sente e como senti-lo, em vez de levar você a experimentar os sentimentos humanos reais.
Música 2829878380037515605

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item