loggado
Carregando...

[Fora de Cena] O Guia do Mochileiro das Galáxias


Olá, leitores! Dia 25/05 (domingo) é um dia especial para todos os fãs da famosa trilogia de cinco, O Guia do Mochileiro das Galáxias, e também para todos os nerds ao redor do mundo.

Após a morte do escritor da saga, Douglas Adams, os fãs decidiram encontrar uma forma de homenagear o autor. Então, no dia 25 de maio de 2001, foi feita a primeira homenagem pelos membros da H2G2 – comunidade virtual disposta a construir um manual para a vida, o universo e todo o resto –, a partir deste dia, o vigésimo quinto dia do mês de maio ficou conhecido como o Dia da Toalha. Contudo, o dia também é conhecido como o Dia do Orgulho Nerd por ter sido o dia da première do primeiro filme da série Star Wars, em 1977. 


Hoje o Fora de Cena está trazendo para você, caro leitor, uma homenagem ao ícone da cultura nerd, O Guia do Mochileiro das Galáxias. Afinal, quem nunca desejou visitar Betelgeuse? Possuir uma cópia exclusiva do Guia? Viver ótimas aventuras espaciais ao lado de Arthur Dent, Ford Prefect, Zaphod e Trillian? Comer o maravilhoso sanduíche do Fazedor de Sanduíches? Entre outras coisas. 

Douglas Adams não criou uma simples saga, mas sim uma das mais divertidas e irônicas de todos os tempos. A trilogia de cinco brinca com diversas situações cotidianas do homem moderno, muitas vezes em forma de humor crítico, e trás o peculiar humor e sarcasmo do autor britânico. Durante os cinco livros, tivemos a honra de acompanhar Arthur Dent, Ford Prefect, Zaphod Beeblebrox, Trillian ou Tricia McMillan e, por último, mas não menos importante, Marvin, o Andróide Paranóide, vivendo loucas situações no universo. 

Em suas viagens intergalácticas, eles viajaram para Magrathea, um planeta onde sua população é especializada em construir planetas, a bordo da Coração de Ouro (a primeira nave a utilizar o Gerador de Improbabilidade Infinita). Inclusive, lá puderam descobrir que foram os ratos Benjy e Frankie que ordenaram a construção da Terra. Também tiveram a chance de visitar O Restaurante no Fim do Universo, onde uma vaca se apresenta aos clientes mostrando quais são as melhores partes do seu corpo para se alimentar, as mais suculentas (qual terráqueo não gostaria de ter essa oportunidade também?) e  feliz por ser sua refeição; e bebem, claro, a famosa Dinamite Pangaláctica enquanto assistiam ao fim do universo. 

Arthur e Ford voltam então à Terra pré-histórica e continuam a buscar pela pergunta que origina a resposta 42 para A Vida, o Universo e Tudo Mais passando por diversas situações. E nós, leitores, voamos junto com Arthur e Fenny em Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes. Babamos nos sanduíches feitos por um morador de Lamuella, o Fazedor de Sanduíches, em Praticamente Inofensiva. O quarteto mais o Marvin, o robô maníaco-depressivo com o QI 30 bilhões de vezes superior ao de um ser-humano, passaram por muitos momentos hilários e de tirar o fôlego, sem contar as diversas linhas temporais exploradas por Adams ao longo dos cinco livros e a forma como fomos surpreendidos pelas revelações ao longo da história. 

Douglas Adams também criou citações memoráveis repetidas até hoje por todos os fãs ao redor do mundo. Algumas das mais conhecidas são:

No início, o Universo foi criado. Isso irritou profundamente muitas pessoas e, no geral, foi encarado como uma péssima ideia.”

Amor: muito doloroso. Evite, se possível.

A realidade está frequentemente incorreta.

E a clássica frase do Andróide Paranóide: 

Vida? Não fale comigo sobre a vida!


Em 2005, foi lançado o filme baseado na obra de Adams, O Guia do Mochileiro das Galáxias. Não é o pior filme do mundo e muito menos o melhor. Temos no elenco Martin Freeman (O Hobbit) como Arthur Dent, é inegável que o ator não seja O Perfeito Arthur, você consegue imaginar o personagem exatamente da forma como é personificado por Freeman. Mos Def (Dexter) como Ford Prefect, Sam Rockwell (Homem de Ferro 2) é Zaphod Beeblebrox, Zooey Deschanel (New Girl) interpreta Trillian e a voz do Marvin é feita pelo querido Alan Rickman (Harry Potter). 

O longa-metragem modifica algumas situações, incluindo o final da história, no seu decorrer. Contudo, não desmereço o filme, pois mesmo com todos os defeitos que possui, vale a pena dar uma conferida. A direção cinematográfica de Garth Jennings é boa, trazendo planos adequados às cenas exibidas. Os atores selecionados conseguem entregar uma boa personificação dos personagens sendo, claro, a interpretação de Freeman e a voz de Alan as melhores. Os dois conseguem captar bem a essência de seus personagens. A música de abertura representando a despedida dos golfinhos da Terra é, simplesmente, genial; depois de assistir, ficará por dias com ela sendo cantada em looping na memória. 

O Fora de Cena desta semana indica para todos vocês, mochileiros ou não mochileiros ou quase mochileiros, que vejam o longa-metragem baseado na obra de Adams e claro, leiam os livros da maravilhosa, perfeita, incrível, divertida e única trilogia de cinco. 

Desejamos a todos um excelente Dia da Toalha e lembrem-se: nunca se esqueçam de levar a sua toalha, afinal, ela pode te salvar da Terrível Besta Voraz de Traal. Você não quer que um Vogon leia uma poesia para você. A arte de voar consiste em errar o chão, entretanto, leia O Guia para mais informações. E o mais importante – NÃO ENTRE EM PÂNICO! 


Espero que tenham gostado!
That’s all folks!
O Guia do Mochileiro das Galáxias 4760122959707079134

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item