loggado
Carregando...

[Crítica] Sinfonia da Necrópole (VII Janela Internacional de Cinema do Recife)


Recife/PE - Por Jo Pais

Na véspera do Halloween, o Janela nos presenteou com Sinfonia da Necrópole, um filme não só divertidíssimo como romântico também, apesar de o cenário ser um cemitério. Deodato (Eduardo Gomes) é um aprendiz de coveiro que conseguiu emprego no cemitério onde seu tio, Jaca (Paulo Jordão), trabalha. Mas ele não leva jeito algum para o serviço.

Tentando escapar ao máximo do trabalho, Deodato acaba recebendo a notícia do seu chefe de que o cemitério passará por uma reforma, uma vez que não tem mais espaço para novos corpos serem enterrados. E para tal, uma agente do serviço funerário vai até lá trabalhar com o cara que menos conhece o lugar.

Jaqueline (Luciana Paes) chega ao cemitério já chamando atenção pelo seu look badass e até em suas atitudes a personagem parece ser durona e firme nas decisões que toma, mas o sentimentalismo de Deodato acaba fazendo-a rir e, por que não, conquistando a mulher aos pouquinhos, mesmo com medo e insegurança?

Como o filme é bem divertido em todo seu roteiro, as músicas e coreografia foram bem dirigidas e o deixaram não só mais engraçado como também quebraram o paradigma de se temer o cemitério em si. O protagonista também ajudou e muito com as cenas hilárias do seu personagem tentando se aproximar de Jaqueline ou até mesmo de se provar, finalmente, um coveiro.

E tivemos, para os adoradores, não só cenas belas por entre as covas como também um musical básico com os mortos, nada ao estilo de Thriller do Michael Jackson não, mas muito bem feita a maquiagem dos mesmos. O filme inteiro foi bem feito, as cenas de comédia fizeram muitos espectadores rirem e até achei fofo a cena do carro na chuva, onde nossos protagonistas cantam juntos.

O desfecho do roteiro eu vou deixar para que vocês vejam e, sem spoilers, gostaria de dizer que amei a história do nosso Deodato: um cara simples, com talento, de bom coração e ainda mais vivo, que é o que importa no final das contas, não é mesmo? As questões com a morte são presentes o filme inteiro, contudo de uma maneira bem clara e sem rodeios. Assistam, pois vale muito a pena.

VII Janela Internacional de Cinema do Recife 8773329418339991786

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item