loggado
Carregando...

[Crítica] O Comboio do Medo (VII Janela Internacional de Cinema do Recife)


Recife/PE - Por Jo Pais

Um dos clássicos mais conhecidos no mundo do cinema, O Comboio do Medo, é um filme tenso, mas que não empolga muito. A princípio, o roteiro nos introduz aos quatro diferentes protagonistas que, cada qual em seu país de origem e por razões diferentes, vão parar no mesmo fim de mundo da época: a Costa Rica.

O filme, com uma duração de duas horas, é bem produzido sim, porém peca em termos de agilidade quando metade do filme nos mostra apenas os mil pressupostos que irão juntar os protagonistas, como cada um deles é e o que se passa em suas vidas até ali. Entendo que, mais para o fim, serão motivos que vão influenciar o psicológico narrativo deles, mas a perda de tempo foi grande.

Após a explosão de uma mina de petróleo, descobrimos que a pequena cidade na qual os quatro foragidos se encontram está na mira de terroristas e o governo norte-americano simplesmente ignora os fatos para não alarmar a população que ali vive. Então, a existência de seis caixas de dinamite antigas revela outro perigo para a população: nitroglicerina líquida que, ao mínimo movimento, pode explodir e causar outra grande perda para o local.

E é justamente esse o conflito do roteiro, o transporte das caixas dentro de caminhões reconstruídos do ferro velho (vide as condições precárias do vilarejo porto-riquenho). É aí, então, que o filme começa a prender a atenção do espectador e causar tal impacto de preocupação. Os caminhões apenas têm que atravessar o país para chegar à capital por matas, pântanos, rios, montanhas e tudo nas “ótimas” estradas da época.

O Comboio do Medo é um filme bem dirigido em termos de não só ter que trabalhar junto com a produção, que aqui foi ótima, mas também em depender muito dos atores que souberam passar a aflição de seus personagens em todos os momentos. Apesar de todo o hype em cima do filme, o roteiro incomodou bastante no quesito prender a atenção do espectador pelo menos até a metade. E, apesar de seu final ter sido entreaberto, não concordo com muitos que o filme seja tudo isso.

VII Janela Internacional de Cinema do Recife 1742301291628389267

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item