loggado
Carregando...

[Review] Crossover: Chicago Fire 3x07/Law & Order: SVU 16x07/Chicago P.D. 2x07

Simplesmente fantástico.


Simplesmente fantástico.

Chicago Fire
3x07- Nobody Touches Anything (1)

Law & Order: SVU
16x07 - Chicago Crossover (2)

Chicago P.D.
2x07 - They'll Have To Go Through Me (3)

Um dos acontecimentos mais interessantes no mundo das séries são, sem dúvida, os crossovers. Poder ver nossas personagens favoritas em outro espaço e misturados com um grupo completamente diferente de pessoas é uma ideia muito interessante e o LoGGado não poderia deixar de cobrir esse que foi um dos maiores eventos da semana.

Não é a primeira vez que Chicago Fire, Chicago P.D. e Law & Order: SVU se juntam para contar uma única história, mas dessa vez a junção entre essas três incríveis séries acabou muito melhor do que se poderia esperar. Com muito mais ação, emoção e qualidade do que o último crossover, essa reunião foi tudo o que os fãs de qualquer um desses programas podiam esperar e até um pouco mais.

Chicago Fire foi o que deu início a essa união e o fez de uma maneira bem interessante. É verdade que a maior parte do episódio deu continuidade às histórias dos bombeiros (e se eu fosse fazer uma review apenas desse episódio, eu seria obrigado a dizer que o Severide está ficando maluco) e conseguiu trazer um episódio, no geral, muito bom, com vários momentos bons e deixando alguns ganchos para desenvolver as personagens. A ligação com o crossover aconteceu em um incêndio, Severide foi resgatar um homem que estava preso dentro de casa porque havia voltado lá para pegar uma maleta. O que importava mesmo era o que estava dentro dela, várias fotos de jovens que visivelmente sofriam abusos. Esse foi o pontapé inicial de uma das maiores caçadas aos criminosos na história das séries policiais.

Não tem como negar que o motivo para unir as séries foi muito inteligente. Conseguimos descobrir um pouco mais sobre o passado da Lindsay, e esse irmão desaparecido é só mais um dos problemas que a detetive teve durante sua juventude. Mas como a ideia é agradar a todos e não só aqueles que gostam dessa personagem, sua ida para Nova York para procurar o irmão e descobrir quem abusou dele foi justamente o que gerou o melhor episódio dessa temporada de Law & Order: SVU. A procura por Teddy foi como a investigação teve seu início e tudo que veio depois disso só mostrou o quanto ele era peça chave nessa história. Com uma vida muito pior e mais complicada que a de sua irmã, o que vimos foi uma pessoa quebrada pela sociedade e a forma como isso foi exposto ao público foi muito bem planejada. Desde a escolha do ator até a forma como a personagem foi escrita (especialmente em momentos mais complicados, como quando encontrou sua colega de cativeiro), tudo em volta de Teddy ficou muito bom e não poderia ter sido feito assim em nenhuma outra série além dessa.

Com os primeiros suspeitos aparecendo e com a primeira vítima salva, esse episódio quase se encerrou em uma situação positiva, mas como ainda faltava Chicago P.D. entrar na reunião, é óbvio que não seria tão fácil. Mais vítimas apareceram, membros da gangue começaram a ser mortos e o problema voltou para Chicago. Esse episódio foi, sem dúvida, o mais emocionante dos três. Entre as vítimas sendo salvas e a cena final em que a família do oficial morto foi saudada por todos policiais do distrito, foi justamente a série mais violenta que nos trouxe o episódio com a maior carga emocional.

Tudo estava ficando mais complicado, todos os envolvidos ou morriam ou se matavam e a investigação tinha cada vez mais cara de que terminaria sem ter gerado um resultado positivo. Até que a Olivia (e o Teddy, claro) foram para a cidade do Voight. O irmão de Lindsay foi de novo ponto principal no andamento da investigação ao identificar o líder do grupo, e depois Olivia se encarregou de pegar a confissão. Os atritos entre ela e Voight eram esperados devido à enorme diferença nas formas de agir entre eles. E se no episódio anterior ela o impediu de interrogar alguém de maneira mais agressiva, dessa vez ela mostrou o porquê nem sempre os socos na cara resolvem. Posso não ser a pessoa mais indicada para falar isso, já que adoro demais a Olivia, mas a sargento da SVU foi um dos pontos mais altos desse crossover. A sua liderança em parte do caso e sua participação nele como um todo foram indispensáveis para o resultado que foi alcançado e acho que todos os outros fãs dela gostaram muito de ver como a Olivia consegue não só surpreender um policial 20 anos mais novo com o jeito que ela se defende (eu dei risada da cara do Jay nesse momento), como também com o jeito que ela teve para lidar com toda a situação.


Mas parando um pouco com a bajulação (ou só diminuindo um pouco), também é importante falar que o que ajudou os episódios a serem um sucesso foi a química entre os envolvidos. Rollins e Lindsay tiveram momentos interessantes, mas Benson e Voight formaram uma dupla fantástica. Justamente por serem personagens tão diferentes e interpretadas por atores incrivelmente marcantes, esses dois juntos formaram uma dupla que faz inveja para qualquer outra série do gênero. Espero ter mais chances de vê-los trabalhando em algum outro caso do tipo, porque com certeza isso geraria outros ótimos episódios.

Espero que tenham gostado tanto desses episódios quanto eu gostei e espero também que tenham gostado dessa review especial que trouxemos para vocês. Até o próximo crossover!

Reviews 7753333696197043885

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item