loggado
Carregando...

[Review] Arrow 3x23 - My Name is Oliver Queen (Season Finale)

O Oliver até pode estar feliz, mas os fãs estão meio bravos.


O Oliver até pode estar feliz, mas os fãs estão meio bravos.

My Name is Oliver Queen é um episódio, no mínimo, paradoxal. Ao mesmo tempo em que tivemos alguns momentos muito bons, também houveram grandes decepções. Ao mesmo tempo em que alguns fãs ficaram muito felizes, outros estão xingando a série até hoje. Mas acho que uma coisa não pode ser discutida: foi o melhor final que essa temporada poderia ter tido.

Não vou ficar aqui escrevendo um monte de parágrafos sobre a temporada como um todo, comentando erros, acertos e as críticas dos fãs (mas vou fazer isso em um post especial, então fiquem ligados aqui no site), uma vez que esta review é a apenas da season finale, mas a única maneira de ver o lado bom do que aconteceu neste episódio é analisando o quadro geral (tanto o que veio antes como as possibilidades para o futuro).

Sempre prefiro falar separadamente das características boas e ruins de cada episódio, e aqui vai ser a mesma coisa. Então, começando por aquilo que deu certo: a presença do Flash. O plano elaborado entre Oliver e Malcolm não seria o bastante para salvar a todos, então eles resolveram pedir ajuda do Flash. Eu gostei muito disso por alguns motivos: primeiro porque eu não canso dos crossovers e segundo porque não foi algo sem sentido ou feito apenas para aumentar a audiência. Os roteiristas de Arrow já mostraram que não são os melhores em seguir aquilo que eles mesmos escreveram, mas até para eles seria demais fazer com que os amigos de Oliver conseguissem escapar sozinhos de Nanda Parbat. Além de dar sentido à volta deles em segurança, a presença do Barry deu uma reduzida na carga dramática do episódio com algumas piadinhas que me fizeram sorrir (quem não gosta da cara do Diggle quando o Flash simplesmente some, né?).

Mas a maior surpresa positiva foi justamente na parte que, para mim, estava sendo a pior da temporada: os flashbacks. Todas as cenas que nos mostram o passado têm como função apresentar o crescimento do Oliver de playboy babaca a vigilante assassino, e pela primeira vez tivemos um passo bem concreto nesta direção. A frase “He failed this city” depois de torturar o general Shrieve mostrou pela primeira vez a frieza que vimos no Arqueiro do começo da série. Claro que, além dessa, todas as outras cenas do passado foram muito boas, mas esse definitivamente foi o ápice dos flashbacks da temporada.


Como último ponto positivo é impossível não apontar o fato de que Merlyn agora é o novo Ra’s Al Ghul. A cena em que ele está diante dos membros da liga e eles se ajoelham para reverenciá-lo foi muito empolgante, especialmente a expressão facial da Nyssa ao se ajoelhar (a cara dela de: “eu vou te matar eventualmente” foi demais). Mas, provavelmente, a melhor parte dessa história é que a Liga dos Assassinos, e o próprio Malcolm, não vão desaparecer da série tão cedo. Eu preferiria que a Nyssa ficasse em Starling ajudando a Laurel, mas tenho certeza que as interações entre ela e o novo Ra’s serão muito boas.

Agora, indo para os problemas, vamos falar do único que, de fato, prejudicou a qualidade do episódio: o tão esperado confronto final entre Oliver e Ra’s. Que m#%da luta sem graça foi essa? Sem um décimo do drama e da emoção que a luta anterior teve, esse confronto não passou de uma forma barata de se livrar do inimigo. Sério que em três semanas o Oliver adquiriu experiência o bastante pra vencer o homem que nem suou para derrotá-lo? Já comentei sobre falta de coerência na série antes, mas agora passou dos limites. Não poderiam ter feito alguém lutar ao lado dele uma vez que o Arqueiro não ficaria com o título de qualquer forma? Talvez o Malcolm ou a Nyssa, qualquer um que pudesse tornar a luta mais justa. Esse combate foi a âncora do episódio porque todo o resto, de fato, se encaixou bem. Agora um comentário bem pessoal: eu shippo Olicity desde sempre e, por isso, gostei do fato de que ela salvou a vida dele usando a armadura, mas já vi muita gente que achou isso idiota e eu até entendo a opinião deles. Essa cena foi bem desnecessária e parece mesmo que foi feita só pra quem gosta do casal. O final deles foi bom para a série, mas esse momento anterior foi muito direcionado para um fandom específico e eu não sei até que ponto isso é válido.

No começo da review eu disse que esse final foi o melhor que a série poderia ter tido e agora eu explico essa frase: apesar do fiasco que foi o clímax do episódio, o resto dele cumpriu com aquilo que a temporada toda vinha prometendo. Desde o primeiro episódio temos aquela discussão sobre os dois nomes e o fato de quem ninguém pode viver com mais de um, e, finalmente, tivemos uma decisão definitiva sobre o nome dele daqui pra frente. Escolher  “Oliver” ao invés de “Arqueiro” faz todo o sentido, levando em conta que o ponto principal da temporada foi o desenvolvimento dos personagens. E é justamente essa escolha que pode fazer com que a quarta temporada seja muito melhor do que essa foi, pois agora é possível que vejamos o Arqueiro Verde dos quadrinhos (ou algo próximo) e não um Batman com arco e flecha. Essa season finale decepcionou muita gente, mas ao mesmo tempo abriu portas muito promissoras.

Tive sentimentos muito conflitantes sobre o episódio: eu gostei de muita coisa, mas ao mesmo tempo me decepcionei demais devido às minhas altas expectativas. No final das contas, minha opinião sobre o episódio é a mesma que tenho sobre a temporada: muito foi prometido e, apesar dos bons momentos, nem tudo foi cumprido. Não acho que essa seja o pior ano da série (a primeira foi menos interessante no geral), mas esse foi, com certeza, o pior entre os finais de temporada. Se antes o desafio da série era não decepcionar, agora a quarta temporada precisa provar que vale a pena continuar acompanhando as histórias de Starling City. Ou seja, é bom que todo esse desenvolvimento dos personagens não seja esquecido daqui a alguns meses.

Season Finale 1178090950399512086

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item