loggado
Carregando...

[Crítica] Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros


A onda de remakes e sequências de clássicos dos anos 1980 e 1990, que veio forte em 2015, continua... e chegou a vez da franquia Jurassic Park voltar às telonas com uma aventura muito fiel aos filmes originais. Sem Sam Neill, sendo a vez de Chris Pratt assumir o posto de protagonista na companhia de Bryce Dallas Howard, Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros não traz muitas novidades no enredo, cabendo aos efeitos especiais o papel de surpreender o espectador.

O longa tem um roteiro muito semelhante aos outros filmes da franquia, colocando em dúvida a necessidade desta sequência. Apesar de ser muito fiel aos originais com uma série de referências e momentos nostálgicos, Jurassic World acaba sendo uma aventura surpreendente para quem nunca viu nenhum dos anteriores. Senão, vejamos o enredo: uma dupla de irmãos adolescentes vai passar o fim de semana no renovado "Parque dos Dinossauros", que foi renomeado para Jurassic World, e que conta com novas atrações. Lá, os irmãos encontram sua tia Claire (Bryce Dallas Howard), uma mulher totalmente focada em seu trabalho de supervisionar o funcionamento do parque. Também trabalha no local Owen (Chris Pratt), encarregado do contato com alguns velociraptors - que são treinados e obedecem ordens, sendo uma das novidades desse novo filme. Quando uma nova criatura com DNA de diversos dinossauros sai de controle, o parque de diversões se torna um grande terror. Quem viu Jurassic Park já tem uma bela ideia do que vai dar tudo isso.

Com personagens estereotipados - como o badass Owen - cabe aos efeitos valerem o filme, e eles não decepcionam. O que já era incrível em 1993, acaba sendo espetacular em 2015 e assistimos diversas sequências de ação com dinossauros em fúria, ou simplesmente em seu estado natural. O 3D deve ajudar ainda mais na imersão de ver batalhas com o famoso T-Rex, além de outras feras fantásticas que o parque abriga. A trilha sonora icônica e nostálgica de John Williams só favorece o clima de aventura que é estar no Jurassic World.

Com um roteiro previsível e superficial, co-escrito por Colin Trevorrow - que assume a direção -, e praticamente nada de novo na história, Jurassic World acaba sendo direcionado para quem nunca viu Jurassic Park ou para o fã nostálgico, meu caso. Percebo também que, enquanto Mad Max trouxe uma personagem feminina forte e de destaque, este não o faz da mesma forma. Claire tem cenas épicas, mas fica na sombra de Owen durante boa parte da película. A dupla de irmãos também é bem estereotipada, deixando o longa com personagens rasos, o que pode ser proposital uma vez que a relação dos humanos com os dinossauros é que é a mais bem trabalhada do filme. No fim das contas, a melhor personagem é a "vilã" da história, a dinossauro geneticamente modificada. Também é válido lembrar que a função do filme é entreter com muita ação, e nisso Jurassic World é bem eficaz.

Enfim, é fã nostálgico ou nunca viu nada da franquia Jurassic Park? Então eu recomendo este filme, pois será uma bela experiência no cinema. O que é previsível para quem já viu os clássicos será novidade para quem não tem ideia do que acontece, e apenas isso já vale o ingresso. Lembro da primeira vez que vi Jurassic Park, há mais de dez anos, e nunca esqueci a sensação de passar umas horas neste parque. Está aí algo que todo mundo deveria fazer. Eu apenas não recomendo a quem já assistiu aos filmes anteriores e não é muito fã, pois além de super-efeitos, não há muita novidade em Jurassic World.

Jurassic World 7677666818090989370

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item