loggado
Carregando...

[Review] Lucky Ladies 1x02 - Episódio 2

Uma vida roteirizada por Shonda Rhimes .


Uma vida roteirizada por Shonda Rhimes.

Estamos de volta com as impressões sobre o segundo episódio de Lucky Ladies a.k.a. melhor e mais surpreendente reality da vida. Digo surpreendente porque aqueles que acharam que teríamos apenas comentários bagaceiros e baixaria acabaram se vendo diante de histórias divertidas e emocionantes de mulheres que já passaram por muita coisa na vida e estão ali lutando para fazer o que gostam. Continuarei separando o texto em tópicos, por participante, indo da pior para a que mais se destacou, pois me permite falar um pouco mais delas individualmente.

5 - Karol Ka


Mais uma semana se passou e, por mais que eu me esforce para criar alguma simpatia por essa moça, meu ódio só aumenta, gente. Tudo o que ela fala, faz, vive parece tão falso e forçado que é impossível não pegar nojinho dela. A cada cagada de regra sobre a vida das outras, o peso, o tipo de comida, etc. Para aqueles que disseram que ela foi pouco explorada no episódio piloto, não podem reclamar que o mesmo aconteceu neste segundo episódio. Todas tiveram mais um pouco da sua história contada e a de Karol Ka se resumiu em participar de 800 realities, inclusive High School Musical - A Seleção, e ter uma mãe pastora - plot corriqueiro entre quase todas as participantes.

Em sua sessão com Tati e o produtor Who, destaco que a moça é talentosa, tem voz e sua música é a mais "comercial" dentre todas as participantes, mas o que ela canta não é funk. Tati estava super polida e só deixou claro que quer que ela entre mais no clima da comunidade e do funk de raiz, mas confesso que ainda sonho pelo dia em que Tati perderá a paciência e dirá o que todos nós sabemos:

"Não era nem para você tá aqui linda."
CRIADORA DO FUNK, Tati

Essa semana ela se mantém na lanterna e só vai levar uma Gretchen impaciente com gente que está (re) começando toda semana em um estilo musical diferente
porque ninguém é obrigado, né?



4 - Mari Silvestre


Tadinha da Mari, gente. Ela é tão fake, tão outsider, mas ela é tão carismática e fofa que não tem como odiar. Consegui simpatizar muito mais com ela neste episódio pela sua parceria com a proprietária do programa, Mc Carol, num plot que super me identifiquei dos problemas nasais e do ronco. Além disso, achei ela super identificável por ser meio tonta, o que ficou bem explícito na reunião com a Tati e o produtor onde ela foi a única a esquecer de levar a música que ia cantar. Inclusive, quero dizer que estou completamente viciado pela única música que ela tem.

Vai manter as duas Gretchens sorridentneys por razões de <3.



3 - Mulher Filé


Eu não sei o que acontece, mas a Mulher Filé que está em Lucky Ladies definitivamente não é a mesma que participou da A Fazenda. Confesso que, por mais bagaceira e escrachada que ela seja, não consigo não amar, principalmente porque ela não tem medo de mostrar quem é.

A senhora bota a cara no sol mesmo, hein mana?

Neste episódio ela foi um dos grandes destaques, seja pela sua sessão com a Tati onde conhecemos um pouco mais da sua história no funk, seu tempo como dançarina do Mr. Catra, ou pela sinceridade com a qual ela admite que gosta de aparecer mesmo e ama ser admirada, chegando a se sentir até mesmo mal quando ninguém a reconhece e pede para tirar foto. Além disso, tivemos o protagonismo no plot maravilhoso da ida ao mercado e o momento mais metalinguístico EVER no qual Filé dança para os açougueiros piscando a bunda loucamente.

"Tinha que mostrar algum talento. Aí eu pisquei a bunda."
TALENTOSA, Filé

Mas o que me fez amá-la ainda mais foram os plots corriqueiros super identificáveis de acordar de mal humor, principalmente quando se tem uma gralha como Karol Ka cagando regra a todo minuto.

Quem nunca?

E, obviamente, por mostrar que é super normal pagar uma quantidade ímpar de peitinhos por segundo no primeiro bloco do programa:

Maravilhosa

Por ser sincera e maravilhosa, Filé vai subir um degrau no ranking
e levar quatro Gretchens quebradeiras.

    


2 - Mc Sabrina


Guerreira. Se tem uma palavra que pode descrever a dona da capa desta review é essa. Sempre admirei o trabalho da Mc Sabrina, mas após este episódio passei a admirar muito como pessoa. O que foi essa história, gente? Ela ter passado por toda essa sequência de traumas e estar de pé e lutando para continuar mantendo sua vida e sua carreira é nada menos que louvável e de se aplaudir de pé.

Resumindo muito, ela quando jovem meio que foi assediada pelo padrasto e não teve o apoio da mãe:

Não dá para mensurar o
quão difícil deve ser isso...

Perdeu dois filhos em condições trágicas e, como se não bastasse, ainda foi culpada pelo marido por conta do falecimento de ambos.

Força Guerreira

Acabou em uma clínica para tratamento mental após isso tudo e agora está de volta para reconstruir sua carreira.
Vencedora mesmo

Eu fiquei realmente tocado com a trajetória dela e por isso não consigo destacar mais nada do que se passou em relação à ela no episódio. Nem mesmo o plot introduzido por Mc Carol que, praticamente, a tirou do armário e a fez declarar que é #NoMínimoBi. Só pensava em fazer como Tati e o produtor e abraçar a Mc Sabrina depois de tudo.

Por tudo isso darei quatro Gretchens que representam meu estado
mental e psicológico após ouvir a história da moça.

                     


1 - Mc Carol de Niterói a.k.a. Mc Carol Bandida a.k.a.

Sucessora Natural de Tati Quebra Barraco


Firmando ainda mais seu status de dona e proprietária do reality, Mc Carol continua mostrando porque é amada pela mentora do programa Tati Quebra Barraco, pela edição, pelo Brasil e pela internet. Sério, é realmente muito divertido vê-la no programa, nada do que ela faz parece forçado e percebemos que seu carisma é realmente natural. Foram muitos momentos épicos, mas destaco os melhores, como:

O fato de dormir com a roupa da festa do dia anterior:
Quem nunca?

A sensualidade e malemolência com que faz o quadradinho no sofá:
Rainha negra mesmo

A forma como joga as verdades na roda:

- "O que é isso? Alpiste?" - Para Karol Ka, questionando sobre a comida que a outra queria que ela ingerisse.

- "A Karol Ka é uma falsa. Enche o saco pra eu comer coisa light e enche o c* de chocolate." - Constatando a verdade.

- "Queria emagrecer comendo churrasco." - GENTE COMO A GENTE, Mc Carol.

- "Não lavo louça há três anos." - Rainha que cuida das unhas.

Sinceraney
Paralelamente a isso tudo, ainda tem tempo de ser maravilhosa na audição com a Tati e o produtor não fazendo absolutamente nada hahahaha. Sério, tudo o que ela fez foi declamar um pedaço de seu hit "Bateu Uma Onda Forte" para que todos nós soubéssemos que ela é a melhor dessa naba. Isso se chama carisma, talento e sucesso.

Além disso, sua história com o marido também foi bastante explorada e ficamos sabendo que ele está mesmo em regime semi-aberto. Para saber mais da história, assista ao clipe do hino "Jorginho Me Empresta a Doze" logo abaixo:


Por tudo isso e por ser essa pessoa maravilhosa que tem um ensaio sensual na internet sem vergonha de seu corpo, é que essa linda merece cinco Gretchens dando de ombros porque vão ter que aceitar a supremacia semanal da rainha.

   

E assim termina a review deste episódio que, apesar de ter sido mais calmo, foi tão maravilhoso quanto o primeiro e teve como destaque o top 3 do pop Filé, Sabrina e Carol. Espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu e espero mais ainda que deixem os seus comentários do que estão achando das reviews. Abraços, galera, e até a próxima.

SEXY SEM SER VULGAR

P.S.: Gente, Mc Carol não é só rainha na TV, mas na vida e no Twitter. Tomei um tiro aqui em casa quando vi que ela está me seguindo. Te amo, sua linda <3.

<3<3<3

Reviews 8074218163488997363

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item