loggado
Carregando...

[Review] The Knick 2x05 - Whiplash


Chegamos ao fim da primeira metade da segunda temporada com um episódio tumultuado por conta de acidentes, conflitos, sinais de possíveis reconciliações e romances em potencial. E não, o episódio não tem nada a ver com o filme estrelado por Miles Teller e J.K. Simmons (tá, foi uma piada horrível, eu sei...). Sem rodeios, vamos logo começar, pois temos muito pela frente.

Os investimentos de Henry em uma câmera filmadora fez sucesso entre seus amigos ao mostrar-lhes seu exercício de voyeurismo. Por outro lado, o jovem Robertson sofre as consequências de ter injetado dinheiro no metrô ao ter que receber as vítimas de um acidente de trabalho no Knickbocker. Toda a equipe do hospital se mobiliza para atendê-los, tanto que Henry chama enfermeiras de fora para ajudar no atendimento. Ao ser questionado por Barrow sobre o quanto iriam lucrar com o atendimento aos feridos, Henry diz que nenhum centavo será cobrado. Obviamente, ele foi um dos prejudicados. No entanto, nem tudo é uma maré de azar na vida de Henry, que finalmente obtém sucesso ao se aproximar de Lucy levando-a para jantar e com direito a beijo no fim da noite. Pessoalmente, estou curiosíssimo para ver até onde vai essa relação.

Thackery cuida de Abby com bastante zelo e devoção. Receita medicamentos e se dirige até a casa dela para os devidos cuidados. No dia seguinte, vemos os dois tomando café da amanhã e, na saída da casa de Abby, Thackery rouba um beijo de sua ex-esposa e diz: “Velho hábito”. Provavelmente, à medida que eles se aproximam, iremos saber o porquê do divórcio do casal. Será que foi apenas por causa do vício de Thackery? No momento em que vemos Lucy indo realizar o exame de rotina em Thackery, percebemos que agora existe uma distância entre os dois, que mantém o relacionamento só no âmbito profissional. E por falar em vício, Thackery continua suas pesquisas em busca da cura para a dependência química, embora ele mesmo não tenha largado o hábito e conseguiu arrumar uma maneira de burlar a vigilância do hospital neste aspecto. Thackery trabalha com a hipótese de que certa região no cérebro comanda este tipo de desejo, e que basta removê-la para acabar com o vício. No entanto, após realizar o procedimento em uma cobaia humana, Thackery percebe que não obteve êxito e o paciente não responde aos seus comandos.


Correndo contra o tempo para encontrar uma cura para o câncer de laringe de sua mãe, Bertie procura Edwards por ajuda, que logo informa ao jovem médico que existe um artigo francês sobre o tratamento de tumores com base em substâncias radioativas. Com isso, tendo o auxílio de Genevieve, Bertie invade um escritório onde encontra a revista que possui o tal artigo, além de uma revista polonesa com escritos sobre adrenalina, a substância que Bertie pesquisa no hospital judeu. Ele logo comunica seu pai sobre o procedimento, que, sem hesitar, aprova. Entretanto, Dr. Zinberg se mostra relutante quando o assunto é comentado. O que Bertie fará em relação a esse empasse? A mãe de Bertie também conhece Genevieve, gostando da moça instantaneamente.

Vamos aos personagens que tiveram pequena participação neste episódio. Cornelia prossegue nas investigações sobre a morte do inspetor Speight e o paradeiro de sua família, informando a polícia sobre suas descobertas. Cornelia tem acesso ao bloco de anotações do inspetor e descobre algo relacionado à peste bubônica. Acontece que Cornelia estava atendendo às vítimas dessa enfermidade quando morava em São Francisco, no início da temporada. Como será que as peças se conectarão

Harriet pode até estar livre, mas seu sofrimento nas mãos da sociedade ainda não acabou. Ao tentar ajudar uma jovem com cólica, a ex-freira é repreendida de maneira severa por uma das responsáveis pelo lar de mulheres. Cleary, por sua vez, também não se dá bem neste episódio. Esperando ganhar muito dinheiro graças ao acidente na obra do metrô que vitimou centenas de pessoas, Barrow o avisa que, por ordem de Henry, ninguém sairia lucrando naquele dia. Ou seja, o investimento de Cleary não teve retorno. Testemunhamos o quanto Barrow é frio no âmbito familiar, desejando boa noite aos filhos com excessiva formalidade e rejeitando os avanços de sua esposa. Ao mesmo tempo em que quita sua divida com Ping Wu, Barrow negocia com o chinês a exclusividade sobre Junia, sua amante prostituta. Bem sucedido, ele logo vai à procura de um apartamento para a moça morar.

O ponto alto do episódio com certeza foi o inevitável conflito entre Edwards e Gallinger após este levantar argumentos eugenistas, de forma a contribuir com a pesquisa de Thackery sobre dependência química. Acompanhado por Opal, Edwards vai assistir a uma palestra ministrada por um homem chamado D.W. Garrison Carr (Ntare Guma Mbaho Mwine). O palestrante anima as emoções do público ao celebrar a trajetória negra na América quando diz: “A história do negro da América é a história da América”. Edwards a princípio fica desconfortável, mas logo se interessa nas palavras de Carr. Em contrapartida, vemos que Gallinger se entregou totalmente à eugenia. Após conhecer o Dr. Samuel Reid (Thomas Kopache), que chefia uma casa para crianças “idiotas” em Randall’s Island (onde realmente aconteceram procedimentos eugenistas no início do século XX), Gallinger se voluntaria para realizar vasectomia nas crianças da instituição como forma de “livrar a sociedade” de indivíduos como eles.

Enfim, partimos assim para a segunda metade de The Knick. Muita coisa ainda está para acontecer. O embate entre Edwards e Gallinger promete ser um dos pontos altos não só dos episódios que virão, mas da temporada como um todo. Do lado de quem Thackery ficará? Sigamos em frente.

The Knick 2035425037336333719

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item