loggado
Carregando...

[Crítica] No Coração do Mar


Vencedor do Oscar por Uma Mente Brilhante, Ron Howard tem alguns títulos interessantes em que assina a direção. Entre o mais recente está Rush: No Limite da Emoção, que também contava com Chris Hemsworth como protagonista. O diretor retorna agora com No Coração do Mar, um drama que retrata a história original na qual Herman Melville se baseou para escrever o clássico da literatura mundial Moby Dick.

No Coração do Mar foca na viagem de um navio em busca de óleo de baleia e nos conflitos entre o capitão George Pollard (Benjamin Walker) e seu primeiro imediato Owen Chase (Chris Hemsworth). Quando uma baleia os ataca e eles ficam perdidos no mar, a "aventura" começa. A narrativa se desenvolve em um flashback onde Herman Melville (Ben Whishaw) entrevista um dos marujos que fizeram parte da expedição, o agora velho Thomas Nickerson (Brendan Gleeson). Sua versão jovem é interpretada por Tom Holland, o novo homem-aranha.

Talvez este seja um dos principais problemas do filme. A narrativa tropeça nos primeiros minutos e leva algum tempo para que o espectador se prenda a história, justamente quando o roteiro decide se concentrar no flashback. A partir do inicio da viagem, No Coração do Mar se torna uma obra muito mais interessante por trazer o tema do homem como apenas mais um membro dentro da natureza. A presença das baleias em cena torna o drama mais denso, e as sequências de caça são bem dirigidas, colocando o espectador no clima de dificuldade que é capturar esse animal, e posteriormente retirar seu óleo.

A baleia branca, suposta vilã do filme, pode dar um clima de Orca - A Baleia Assassina, mas não é esse o caso aqui. A grande proposta de No Coração do Mar é justamente tentar mostrar essa relação de convívio entre homem e natureza, ação e reação, causa e consequência. O que favorece os diálogos em diversos momentos, mas não o suficiente para fazer deste um dos grandes filmes do ano, contudo, potencial com certeza havia.

O uso do 3D é dispensável, pois pouco coopera com a narrativa, além de prejudicar demais a fotografia do filme, que fica escurecida e incomoda em diversos momentos, dificilmente encantando, mesmo em grandes planos gerais do Oceano Pacífico. Mas No Coração do Mar é um filme bem editado, com começo, meio e fim claramente expostos. Ninguém deverá sair confuso da sala de cinema, mas pode sair decepcionado por esperar mais. Caberá a cada um estabelecer o que levar desta obra, que pode até despertar a vontade do público em ir atrás do clássico Moby Dick

Enfim, com um bom potencial No Coração do Mar poderia entrar na lista de melhores filmes do ano, mas isso dificilmente acontecerá. Culpo principalmente algumas escolhas do roteiro que poderia ter desenvolvido melhor a ideia central da história. Com direção e atuações competentes, mas nada espetaculares, a história te prende durante as duas horas, mas deve ser esquecida logo após sairmos do cinema. O que é uma pena, pois o último filme de Howard, Rush, ainda está na minha memória. Acredito que No Coração do Mar seja uma obra indispensável apenas para aqueles que adoram histórias com essa temática de "perdidos no mar". Quem não é muito fã, deve passar longe, existem outros títulos mais apropriados em exibição no momento.

No Coração do Mar 5486184104424711585

Postar um comentário Comentários Disqus

Página inicial item